Açafrão; Açafroeira

Nome cientifico: Curcuma longa (Zingiberaceae)

Sinonímia: Falso-açafrão, açafrão-da-índia, açafrão-da-terra, açafroa, açafroeira, açafroeiro-da-índia, batata-amarela, gengibre-amarelo, gengibre-dourada

Composição Química: Curcuminóides ou Corantes (curcuminas I e III, dicafenilmetano, caferuilmetano, desmetoxi-curcumina, bis-desmetoxi-curcumina, dihidro-curcumina); Óleo Essencial (-alantona, bisabolano, guayano, germacrano,, ,turmerona, zingibereno, 1,8-cineol, borneol, d-sabineno, ácido caprílico, deshidroturmerona, 1-fenil-OH-N-pentano, limoneno, linalol, eugenol, curcumenol, curcumenona e felandeno); Fibras; Polissacarídeos A, B, C e D; Sais de Potássio; Resina; Amido; Cálcio; Fósforo; Ferro; Sódio; Carotenos; Tiamina (vitamina B1); Riboflavina (vitamina B2); Niacina (vitamina B3 ou PP); Vitamina C.


Dados para Cultivo

Propagação: Divisão de rizoma (touceira).

Espaçamento: 0,7 X 0,5 m (comercial).

Época de Plantio: Primavera-verão (chuvas/irrigação).

Época Colheita: Rizomas, que contém mais fitofármacos (inverno) ou folhas maduras/flores (verão).


Informações Gerais

Contra Indicações:

Doses altas podem resultar em efeitos neurotóxicos (delírio, sonolência e confusão mental) e abortivo em humanos. É contra-indicado seu uso durante a gravidez, lactação e para crianças menores que 4 anos de idade.

Valor Alimenticio: O sabor é levemente pungente e amargo. Ao ser cozido, os rizomas exalam um forte aroma que lembra casca descascada de laranja doce e gengibre. É utilizada em culinária e na indústria alimentícia como condimento, corante natural e aromatizante sendo o principal componente do “curry”- condimento indiano. Os rizomas são comestíveis e fornecem fécula comparável à da araruta e da mandioca. Ao ser desidratada e moída, o pó da cúrcuma não deve ser armazenado em recipientes plásticos, sobretudo sacos plásticos, pois os princípios ativos reagem com o material, o qual adquire consistência pegajosa. Combina muito bem com tomate, sálvia, pimentão e caldo de crustáceos. Combina ainda com folhas de louro, canela, cravo, cardamono, anis e noz-moscada. Na Índia é usada para doces, no Irã é misturada com hortelã, na Espanha é usada no preparo da paella. Os árabes tomam-na com café.

Observações: Dos estigmas das flores extrai-se o pó de açafrão que é utilizado nas farmácias para produzir o láudano, e usado como condimento e corante (de altíssimo preço). Popularmente chama-se de açafrão tanto a espécie Curcuma longa (planta de rizomas tuberculosos) quanto a Crocus sativus (planta de bulbo globuloso, arredondado e deprimido); esta é o verdadeiro açafrão, produzido na China e na Índia, cujo estigma das flores atingem valores superiores em peso ao do ouro, mas pelo seu preço esta sendo substituído por Flos Carthami.


Uso Medicinal

Uso Principal:

É colerética, colagogo, hipoglicemiante, diurética, excitante, anti-inflamatória, estomáquica, anti-diarreica, antiescorbútica, anti-espasmódica, emenagoga, litotríptica (fragmenta cálculos renais), cicatrizante de feridas e antioxidante. Sendo assim, é indicada para amenorreia, dismenorreia, distensões abdominais e peitorais, reumatalgias, hepatite, sarampo, má circulação, antimicótico, psoríase e afecções da pele (ação análoga a dos corticosteroides tópicos, porém com poucos efeitos adversos), previne aterosclerose por auxiliar no controle do colesterol. Há indicativos de possuir efeitos anti-ulcerogênico e hepatoprotetor, atribuídos à curcumina e à P-totilmetilcarbinol-diferuloilmetano.

Uso Normal:

É citado na medicina chinesa como fortificante e estimulante sexual. Hipócrates e Celsus utilizavam açafrão (rizomas) para medicamentos contra dores, letargia e venenos (intoxicações). Os árabes usam como anestésico e anti-espasmódico. Novos relatos indicam que pode combater a bronquite crônica, a asma, a ansiedade e a insônia. Possui ação aperitiva (abre apetite), eupéptica. Ainda, é considerada coadjuvante em alguns tipos de câncer; no tratamento da AIDS; ajuda no Mal de Alzheimer, pois tem a bisdemetoxicurmina.
Infusão: 20 g/l, 200 a 300 ml por dia;
Extrato Fluido (1:1): 5 a 25 gotas, uma a três vezes ao dia;
Tintura (1:10): 50 a 100 gotas, uma a três vezes ao dia;
Pó Micronizado: 100 mg/cápsula, meia hora antes das principais refeições;
Extrato Seco (5:1): 50 mg/cápsula, meia hora antes das principais refeições.

Características: Introduzido na Espanha pelos árabes (século X). Maior produtor mundial Espanha, seguida pela França, Itália e Grécia. Planta bulbosa, de cor lilás, prefere solos argilo-arenosos férteis, necessita meia-sombra ou iluminação plena para florescer. A colheita das flores é feita 2 anos após o plantio, durante a floração entre outubro e novembro. São necessárias 200 mil flores para dar um quilo de estigmas de açafrão, esta é a razão de seu preço ser superior ao ouro.Contudo seus valores terapêuticos também estão no rizoma.

Foto:

Foto 2: