Abricó-do-pará

Nome cientifico: Mammea americana L. Jacq

Sinonímia: Abricó-das-antilhas, mamae, abricó-selvagem, abricoteiro, abricote, abricó, abricó-de-são-domingos, abricó-selvagem, rojo.

Composição Química:

Contém Vit. A , Vit. B1 (Tiamina), Vit. B2 (Riboflavina), Vit. B5 (Niacina), Vit. C (Ácido ascórbico). Principais componentes citados: resina, mameina.


Dados para Cultivo

Propagação: Sementes (mudas pomar).

Espaçamento: Espécie nativa (sem dados agronômicos).

Época de Plantio: Primavera-verão.

Época Colheita: Folhas, flores, frutos in natura, resina/ (ano todo, ver condições adequadas).


Informações Gerais

Contra Indicações:

Ver dados de Abricoteiro em plantas tóxicas neste site.

Contraindicações do Abricó:

Apesar de o fruto poder ser consumido de forma natural, é preciso tomar cuidado com sua casca e a polpa, pois estas contêm substâncias fortes, amargas e acres que podem, em contato com os lábios ou a língua, causar mal-estar que permanece por algumas horas.

ttps://www.saudeparavida.com/tag/abrico-beneficios/

 

Valor Alimenticio:

Come-se ao natural ou na forma de doces ou compotas. ou licores

Observações:

A resina da casca, raiz e folhas e o pó das sementes, são tidas como sendo efeito inseticida, especialmente contra o “bicho de pé” e os pulgões.


Uso Medicinal

Uso Normal:

Como frutos in natura, é útil contra cálculos, ácido úrico, gota, arteriosclerose, tumores e endurecimentos, hipertensão arterial, escorbuto, catarros, piorreia, raquitismo, beribéri, afecções cutâneas, ajuda o combate à tuberculose no primeiro estágio. Sementes são vermífugas usadas trituradas em decoto. Resina das árvores é usada para combater toda espécie de parasitas da pele e picadas de insetos e feridas. Usa-se na malária, como febrífugo, no reumatismo, na avitaminose C, como digestivo e na “limpeza do sangue (depurativo) ” , usa-se as folhas e flores, em infusão.

Características:

Árvore com até 15 de altura, produtora de látex, nativa da Amazônia, com folhas simples, muito coriáceas, glabras, flores andróginas e femininas, solitárias ou em pequenos fascículos de 2-3, com pétalas brancas e muitos estames amarelos, frutos bacáceos, com polpa comestível, pesando cerca de 2 kg.

Foto:

Foto 2:

Foto 3:

Foto 4: