Nome da Doença: Cisto ovariano (ajuda emergencial); inflamação **
 
 
Tratamento: Segundo Dirceu (dirceu@paz.org.br), tratamento coadjuvante, uso interno, casca, ramos, folhas, decocto, infuso, Gordinha, alternado com Tanchagem (Plantago major e P. minor) e com o composto Mais Vida (composto das plantas: babaçú, babosa, bardana, espinheira-santa, ipe-roxo, rosa-branca,tuia, boldo). Podemos usar também o composto Dirceu: Útero-ovário, com as plantas: bardana, gordinha, milirrmas, rosa-branca. Teles: tal procedimento não evita um diagnóstico médico para procurar um procedimento mais específico visando não mascarar um problema mais sério). No caso de preparados na forma aquosa usar: uma colher de sobremesa, 3 vezes ao dia. No caso de usar na forma de cápsulas contendo pó seco e moído da mistura de plantas indicadas ou de uma planta, tomar 1-2 cápsula, 3 vezes ao dia, 15 minutos antes das refeições,"em estado de fome", ou quando se fizer necessário. Teles: muitas informações de Literatura indicam plantas com eficiência para prevenção de doença grave na área ovariana, tomar o composto Teles Cisto Ovariano Prevent C, ou as plantas em conjunto: túia, açafrão, aveloz, espinheira-santa, fáfia glomerata, infalível, ipê-roxo, curcuma zedoária, graviola. Segundo Dr. Degmar: Taiuiá (Trianosperma tayuya), tubérculo, decocto, tintura; Tuia (Thuya occidentalis), folhas, infuso; Vitex (Vitex agnus-castus); Agoniada (Plumeria lancifolia); Algodão-zinho-do-cerrado; raiz, (quando com inflamação), decocto; Velame-branco (Croton campestris), raiz, decocto, (quando com inflamação).
 
 
Sintomas: Teles: exames frequentes ao ginecologista, poderão identificar com facilidade tal patologia, e outras também potencialmente perigosas, representando uma forma racional de Medicina Preventiva, diagnosticando muito no início qualquer distúrbio a ser corrigido com enormes chances de cura total. ---------------------------------------------- Cisto de ovário Os ovários são dois órgãos do tamanho de uma amêndoa, que ficam nos dois lados do útero. Eles produzem os óvulos e os hormônios femininos (estrógeno, progesterona e outros). Crescimentos chamados cistos podem se formar dentro, sobre ou fora do ovário. Os cistos são sacos preenchidos pôr material fluido ou semi-sólido. É comum encontrar cistos de ovário em mulheres em idade fértil. Tomar hormônios não causa cistos. Os cistos raramente são cancerosos. Mulheres com maior chance de ter cisto de ovário: Idade entre 20 e 35 anos Tomam um medicamento para epilepsia chamado Valporate. (Nota: Não pare de tomar este ou qualquer outro medicamento receitado sem consultar o seu médico.) Mulheres com endometriose, moléstia inflamatória pélvica (MIPA) ou distúrbios alimentares como a bulimia. Sinais e sintomas Na maioria das vezes, os cistos ovarianos são inofensivos e não causam sintomas. Quando há sintomas, estes incluem: Sensação de preenchimento ou inchaço do abdome Ganho de peso Dor fina constante em um ou ambos os lados da pelve Dor durante a relação sexual Menstruação atrasada, irregular ou dolorosa Aumento de pêlos no rosto Dor abdominal pontiaguda forte, febre e/ou vômitos. Estes podem ser causados pelo sangramento, rompimento ou torção de um cisto Existem 3 tipos básicos de cistos ovarianos: Cisto folicular e de corpo lúteo. O cisto folicular é o cisto que se forma quando o folículo que libera o óvulo aumenta e se enche de fluido. O cisto de corpo lúteo é uma massa de tecido amarelado que se forma a partir do folículo, após a ovulação. Estes dois tipos de cistos aparecem e desaparecem a cada mês e fazem parte do funcionamento normal dos ovários, e portanto não necessitam de tratamento. Cisto simples (cisto folicular que não se rompeu, sem a consequente liberação do óvulo). É o tipo de cisto mais comum. Sua formação está relacionada a variações do funcionamento normal do ovário. Eles se formam, pôr exemplo, quando um óvulo, durante a ovulação, não consegue se desprender do ovário como deveria. Podem durar de 4 a 6 semanas. Raramente secretam hormônios. Cistos anormais, ou cistos neoplásicos. Estes cistos são decorrentes do crescimento de células e são benignos na maioria das vezes. Em casos raros, podem ser cancerosos. Os cistos anormais requerem tratamento médico. Exemplos incluem: Cisto dermóide: cisto formado pôr vários tipos de tecidos, como células de gordura, cabelos, dentes, pedaços de osso e cartilagem. Ovários policísticos: são causados pela formação de múltiplos pequenos cistos que provocam um desbalanceamento hormonal, podendo causar irregularidade menstrual, crescimento de pêlos no corpo e infertilidade. Detecção Você pode descobrir que tem um cisto de ovário através de: Exame ginecológico. O seu médico pode apalpar os ovários e descobrir a presença de anormalidades. Ultra-sonografia. As ondas sonoras formam imagens dos órgãos internos, permitindo a sua visualização através de um instrumento que é colocado sobre o abdome ou introduzido na vagina Laparoscopia. Um pequeno procedimento cirúrgico que permite ao médico ver as estruturas dentro do seu abdome. Tratamento O tratamento do cisto ovariano depende de: Tamanho e tipo do(s) cisto(s) Sua idade e se você está em idade fértil ou se você já entrou na menopausa Vontade de ter filhos Estado geral de saúde Gravidade dos sintomas Alguns cistos desaparecem após 1 ou 2 meses sem qualquer tratamento. Em outros casos, pode-se tentar tratamento com hormônios para suprimir o cisto. Se o cisto não responder ao tratamento, pode ser necessária a realização de cirurgia para removê-lo. Se o cisto for descoberto precocemente, pode ser removido sem retirar o ovário. Algumas vezes o ovário precisa ser removido e a cirurgia podem incluir a remoção das trompas de Falópio e também do útero. fonte:www.lincx.com.br
 
 
Dieta e Recomendações:
 

Página Anterior
Versão p/ Impressão